segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Grandes estátuas impressionam e atraem turistas


Visitar o Rio de Janeiro e não subir no Corcovado - com 710 metros - é como ir a Roma e não conhecer o Vaticano. E, vista lá do alto, a beleza natural do Rio torna a cidade ainda mais bonita. Desde que a estátua do Cristo Redentor - 38 metros - se incorporou à essa paisagem, em 1931, o mirante do Corcovado passou a atrair milhares de visitantes do Brasil e do mundo. De tão bela, a paisagem urbana da “Cidade Maravilhosa”, ornada pelo Pão de Açúcar, a Baia da Guanabara, lagoas, montanhas e florestas foi reconhecida como Patrimônio da Humanidade pela Unesco, tendo o Cristo Redentor como principal atrativo.

 O monumento, localizado na floresta da Tijuca, tornou-se um ícone do Brasil, dentro e fora do país e, desde 2007, é considerado uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno. Em 2013, durante a Jornada Mundial da Juventude, a estátua recebeu mais de 20 mil visitas por dia. Por ano, o número de visitantes ultrapassa 2 milhões. Mais de 220 réplicas do Cristo Redentor, de todos os tamanhos, povoam praças e montanhas pelo Brasil e o mundo. É assim em Colatina (ES) -  33 metros - e em Elói Mendes (MG) - 39 metros.

E é em Santa Cruz (RN) que está localizada a maior estátua católica do mundo. É Santa Rita de Cássia, com seus 56 metros de altura instalada mais precisamente em Monte Carmelo. A movimentação de romeiros alterou a rotina da pequena cidade do sertão potiguar, graças ao turismo religioso que incrementa a economia local. Considerada a santa das causas impossíveis, a padroeira local tem sido a salvação da cidade, cuja população vivia na pobreza.


Os orixás do candomblé também são personificados em estátuas que atraem visitantes, principalmente onde a religião tem maior número de seguidores.  O Dique do Tororó, em Salvador, chama atenção de quem passa pelo lago pelas figuras gigantes de oito orixás sobre o espelho d`água. Os orixás representados são Iansã, Nanã, Ogum, Oxalá, Xangô, Iemanjá, Oxum e Oxossi. Os esguichos junto aos orixás, além do efeito decorativo, oxigenam a água do atrativo turístico. Em Brasília, nas margens do Lago Paranoá, o Parque dos Orixás também exibe várias figuras dos “santos” do candomblé. Em Natal, Iemanjá reina na orla da Praia do Meio, onde é cultuada pelos praticantes de dos rituais de umbanda e candomblé.

No Ceará, as estátuas do Padre Cícero - com 27 metros - na Colina do Horto, em Juazeiro do Norte; e de São Francisco - 30 metros -, em Canindé, incluíram os dois destinos religiosos no mapa do turismo brasileiro. Outro personagem expressivo da religiosidade nordestina, o Frei Damião de Bozzano, foi imortalizado em estátuas por toda a região, após a sua morte, e virou atrativo de muitas cidades. Em Guarabira (PB), a estátua do Capuchinho tem 34 metros e está entre as mais visitadas.


Ministério do Turismo

Concurso Público


Prefeitura de Gurjão lança edital para concurso com salários até R$ 11,7 mil

Começam no dia 30 de janeiro as inscrições para preencher as 53 vagas no concurso da prefeitura do município de Gurjão, no Cariri da Paraíba, com salários que podem chegar a até R$ 11,7 mil. De acordo com o edital, as inscrições seguem até o dia 5 de março e podem ser realizadas  no site da organizadora do certame.

Segundo o edital, o concurso é de contratação imediata, além da formação de cadastro reserva com cargos para todos os níveis fundamental, médio e superior.

As taxas de inscrição variam de R$ 70 a R$ 120, de acordo com os cargos escolhidos pelo candidato. A prova do concurso será aplicada no dia 9 de março, com resultado final previsto para o dia 13 de junho.
As oportunidades são destinadas aos cargos de operador de máquinas, agente de limpeza urbana, auxiliar de serviços gerais, coveiro, vigilante, técnico em enfermagem, agente de vigilância sanitária e auxiliar de consultório odontológico.

O concurso da prefeitura de Gurjão tem ainda vagas para auxiliar de enfermagem, técnico de manutenção em informática, assistente social, enfermeiro, farmacêutico, fonoaudiólogo e fisioterapeuta.

Para médicos, as vagas são para médico cardiologista, médico clínico geral, médico ginecologista, médico do PSF, médico veterinário, nutricionista, psicólogo, além de supervisor educacional, professor de educação básica, professor de português, professor de inglês, professor de ciências e professor de educação física.

G1 concursos

Exposição no Antiquário Maria Pê


Em Solânea - PB, o Antiquário Maria Pê faz uma grande exposição de móveis antigos restaurados e recuperados por Wilson Bandeira. Na avenida principal da cidade, na casa de número 590, o visitante encontra mesas, cadeiras, petisqueiros, relógios, rádios, estatuetas, escrivaninha, centros, oratórios, santos, quadros, pratos, entre outros objetos de ambientação e decoração.




A atividade começou como forma de ocupar o tempo e gradualmente se transformou em um negócio. Ele recebe peças para restaurar e também faz coleta de descartes, utilizando a madeira e alguns itens para complementar os objetos em recuperação. Entrar no antiquário é fazer uma viagem no tempo, com muitos itens que são do início do século XX.





A casa que abriga o antiquário pertenceu à avó do restaurador e todas as salas e quartos estão ocupados, o que permite visualizar o efeito que o móvel ou objeto de decoração podem fazer num ambiente. Logo na entrada também estão expostos mosaicos produzidos artesanalmente, semelhantes ao ladrilho hidráulico. A visitação pode ser feita em horário comercial.


Texto: Revista Edificar

domingo, 22 de janeiro de 2017

Sistema natural para tratar esgoto


Problema crônico e ainda distante de soluções a curto e médio prazo, o tratamento de esgoto não é uma realidade em diversos municípios brasileiros, principalmente aqueles mais carentes de estados das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil. Com isto, muito da dignidade humana é deixada de lado e muitas doenças podem ser provocadas pelo contato com água contaminada. Crianças e idosos são os que mais sofrem com a falta de saneamento básico nos bairros onde moram.

Para tentar amenizar esta situação, um engenheiro brasileiro chamado Jonas Rodrigo dos Santos criou um sistema natural para tratar esgoto que tem a capacidade de retirar quase todas as impurezas da água e assim evitar a contaminação de mananciais e a proliferação de doenças.

Como funciona o sistema natural para tratar esgoto?

 

São cinco fases principais de limpeza dentro do sistema natural para tratar esgoto, começando pela fossa séptica e tanque de zona de raízes, este último dividido em quatro fases de filtragem: filtro de pedras grosas, de pedra brita, de pedrisco e filtro com carvão ativado. Para deixar o tratamento de esgoto ainda mais completo, o sistema natural do engenheiro Jonas conta com taiobas e bananeiras para aumentar a purificação.


Para chegar ao modelo final, o engenheiro realizou testes em efluente com 8,3 mil miligramas de material sólido por líquido. Após a passagem da água pelo sistema, o resultado foi de apenas 170 miligramas por litro, ou seja, em um nível que pode ser enviado para córregos ou lagos com total segurança, já que não provoca mais contaminação. Esta central de pequeno porte para tratamento de esgoto foi instalada na propriedade de Denílson José dos Santos (pai do engenheiro) na região rural de Capanema, Paraná.

“Um projeto deste porte não se faz sozinho, eu tive muita ajuda, muito apoio para a realização desse projeto. Uma delas foi do meu pai, pois tudo foi aplicado na propriedade dele, que custeou toda a instalação, ele que arcou com a parte financeira”, afirmou Jonas.

Da faculdade para sociedade

 

O projeto do sistema natural para tratar esgoto foi desenvolvido por Jonas durante a faculdade de Engenharia Ambiental em Foz do Iguaçu. A ideia, inclusive, foi finalista do Prêmio ANA 2014 de Pesquisa e Inovação Tecnológica. A premiação é realizada pela Agência Nacional das Águas a cada dois anos e tem como objetivo valorizar as melhores soluções que promovam melhorias em projetos para conservação e preservação das reservas hídricas no Brasil.

Pensamento Verde

7 exemplos da Dinamarca para reduzir desperdício de alimentos


Segundo o Conselho de Alimentação e Agricultura da Dinamarca, em apenas cinco anos o país conseguiu reduzir o desperdício de alimentos em 25%. O exemplo bem-sucedido do país europeu é fruto de debates públicos intensos sobre o tema, mas também de alguns hábitos comuns à rotina dos dinamarqueses.
Ciente destas diferenças e dos trabalhos de conscientização realizados na Dinamarca, o autor Jonathan Bloom, que escreve para a National Geographic, listou alguns destes costumes que colaboram para que menos comida seja jogada fora. Veja abaixo sete deles:
  1. Ativismo
A Dinamarca tem uma líder de extrema importância no combate ao desperdício de alimentos. A principal ativista sobre o tema no país é a russa Selina Juul, que se mudou de país quando ainda era uma adolescente. Ao chegar à Dinamarca, a jovem ficou impressionada com a quantidade de comida que era normalmente descartada pelas pessoas. Assim, ela criou um grupo de ativistas que ganhou força entre a população e espaço dentro do governo. Os esforços individuais podem, sim, fazer diferença em uma sociedade inteira.
  1. Combater o desperdício de alimentos está na moda e os dinamarqueses gostam de estar na moda
O assunto é tão popular na Dinamarca que até mesmo a Princesa Marie compareceu pessoalmente à inauguração de uma loja que comercializa alimentos fora da data de validade. A Princesa apoia o conceito da loja e incentiva o comércio de comidas que tenham vencido, mas que continuem próprias para o consumo humano.
  1. A Dinamarca é um país pequeno
Para se ter noção do tamanho da Dinamarca, a sua população é menos da metade da cidade de São Paulo. Por ser um país com as dimensões de uma cidade, fica muito mais fácil trabalhar o conceito em escala nacional. As campanhas governamentais conseguem, facilmente, atingir a toda a população. Mesmo que as dimensões mostrem as dificuldades que outros países podem ter em atingir resultados semelhantes, o exemplo comprova que é possível ter resultados extremamente expressivos quando se trabalha em escalas menores.
  1. Os dinamarqueses são naturalmente comedidos
Comida é um item caro na Dinamarca. Os dinamarqueses gastam, em média, 11% do salário apenas para comprar comida, enquanto nos EUA, um dos países com maior índice de desperdício no mundo, a população gasta 6,4% do orçamento mensal com alimentação. Quando algo custa caro as pessoas tentem a desperdiçar menos ou a, realmente, valorizar mais aquilo.
  1. A maior parte dos dinamarqueses sabe cozinhar
Como comida é algo caro, os dinamarqueses tendem a fazer as refeições em casa ao invés de comerem em restaurantes com frequência. Quando as pessoas cozinham ficam muito mais fácil incorporar alimentos que sobraram na geladeira ou no armário à refeição.
  1. As geladeiras são pequenas
Quando não se tem muito espaço para resfriar ou congelar alimentos, a pessoa tende a comprar quantidades menores, justamente para não correr o risco de perder a comida perecível por não ter como acomoda-la adequadamente. Isso também ajuda as pessoas a controlarem o que têm em casa antes de irem às compras, evitando adquirir além do que precisa.
  1. O governo abraçou a causa e investiu pesado em uma mudança
A grande reviravolta no corte do desperdício de alimentos na Dinamarca aconteceu quando o governo resolveu abraçar esta causa. No último ano, o ministro de Meio Ambiente dinamarquês anunciou um subsídio governamental de US$ 750 mil destinado a projetos de redução do desperdício de alimentos desde a produção até o consumo. A permissão para comercializar alimentos fora do prazo de validade também foi essencial para o sucesso dos projetos. Esta mudança na lei permitiu a criação de novos negócios e ofereceu diferentes possibilidades para contornar o descarte de comida, além de disponibilizar alimento com preços menores.

Redação CicloVivo

sábado, 21 de janeiro de 2017

Concurso Público


Prefeitura de São Vicente do Seridó, PB, reabre inscrições de concurso


Foram reabertas na quarta-feira (18) as inscrições do concurso para a prefeitura municipal de São Vicente do Seridó. Com a reabertura do edital, publicado na segunda-feira (16), as inscrições seguem até o dia 5 de fevereiro. No total são oferecidas 40 vagas para ampla concorrência e uma para pessoa com deficiência, em cargos de todos os níveis de escolaridade. Os salários oferecidos variam entre R$ 880 e R$ 3.246,44. As inscrições devem ser feitas exclusivamente por meio da internet, no site da organizadora.

Com a modificação nos prazos, as provas estão previstas para acontecer no dia 12 de março. Segundo o edital, o cargo com o maior número de vagas disponíveis é o de motorista na categoria D, com cinco vagas sendo uma para pessoa com deficiência. A oportunidade exige ensino fundamental completo, além de Carteira Nacional de Habilitação (CNH) na categoria D.

Já os cargos com maior salário são os de médico auditor e médico clínico geral, que exigem curso superior em medicina e registro no conselho de classe. Para o de auditor, o candidato também precisa ter curso em auditoria. A jornada de trabalho para a maioria dos cargos é de 40 horas semanais, sendo que também existem oportunidades com 20 e 25 horas.

Além dos cargos citados, também existem oportunidades para enfermeiro, farmacêutico bioquímico, fonoaudiólogo, nutricionista, odontólogo, psicólogo, supervisor escolar, professor polivalente, professor de matemática, professor de educação física, professor de educação especial, técnico em enfermagem, técnico em laboratório, agente comunitário de saúde, auxiliar administrativo, digitador, monitor do PETI, operador de máquinas pesadas, pedreiro, auxiliar de serviços gerais, coveiro, gari e vigilante.

A aplicação deve acontecer principalmente na cidade de São Vicente do Seridó, mas de acordo com a quantidade de inscritos, também podem acontecer em municípios próximos.

A taxa de inscrição é de R$ 60 para cargos de nível fundamental, R$ 80 para os níveis médio e técnico e R$ 100 para os cargos de nível superior. Segundo o edital, pode ser pedida a isenção da taxa de inscrição em casos de extrema pobreza devidamente comprovada. O certame tem validade de dois anos e poderá ser prorrogado, uma vez, por período igual.

G1 Concursos

Casarão de Manoel Moreira


Na zona rural da cidade de Solânea - PB, a cerca de 5 km do centro, encontramos o Casarão de Manoel Moreira, lugar centenário, abrigando histórias da época do cangaço. Relatam os antigos que o dono era adepto do cangaço. Sua arquitetura lembra a de muitos casarões coloniais de Minas do século XVIII.

O imóvel também comporta histórias assombradas narradas por moradores da vizinhança, contando que o próprio Manoel Moreira aparece no local depois de morto, e ouvem-se vozes e grunhidos na parte interna do Casarão.

Conheça o Casarão de Manoel Moreira, depois da entrada do “Conjunto de Serraria” em Solânea, e tenha contato com uma época bem antes do município ser formado.